terça-feira, 6 de junho de 2017

TEMPOS DE SEMENTEIRA

TEMPOS DE SEMENTEIRA

Os pardais sobrevoam
 os quintais
procurando alimento.
A terra sulcada, negra,
úbere,
aceita as semente
que a fazem fecundar.
Tudo se torna verde,
equilibrado,
não deixou o arado
terra atrás por lavrar.
A água presa de mina
também dá a sua ajuda
para a explosão de criar.
São mãos sujas, calosas,
misturando-se com a terra
que criam jardins e hortas.
Há uma quietude estranha
saída mais da alma
que do corpo suado
a pairar no fim de cada dia

de árduo trabalho.

Sem comentários:

Enviar um comentário