quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

DOMINGO



Victor Silva Barros
DOMINGO

Domingo
olhei pela janela
do quarto,
espreitei a rua estreita,
o café da esquina,
não te vi!
Memórias
é o que te traz
com o cabelo
despenteado,
ar cansado,
mas sempre pronto a lutar!
Segurei-me na cadeira,
li-te,
um  percurso sinuoso,
caindo, levantando,
mal amado,
prosseguindo!
Exististes,
aprendemos contigo,
sonhámos a partir de ti!
Do lado de lá da morte
não há jardins,
árvores de fruto,
olhos azuis!
A memória traz-te,
a pele tem um cheiro
raro,
a maresia,
o olhar, o rir,
ficou em nós!

Sem comentários:

Publicar um comentário