terça-feira, 5 de abril de 2016

LEMBRANÇAS DE NATAL

Gina Marrinhas

LEMBRANÇAS DE NATAL   

Diante daquela janela aberta
Vislumbra-se
um pinheiro de natal,
vi-me pequenina
arrastando uma cesta de verga,
tendo musgo molhado
com que no passado
construía o presépio.
Uma onda de nostalgia
ou frio
embrulha o meu corpo
agora cansado.
Transporta-me à infância
quente e protegida
onde os Natais eram Natais
sem pais natais

mas cheios de magia.

1 comentário:

  1. E os sonhos tinham cor e a mesa era menos alindada mas a casa tinha o cheiro vivo da família e as saudades ainda sabem a leite creme queimado e há na alma o cheiro da canela que fazia desenhos na travessa da aletria.

    ResponderEliminar