terça-feira, 17 de novembro de 2015

UM ANO PASSADO

Collado

UM ANO PASSADO

Sabes mãe, morreste,
não sei se te deste conta
que a vida por um fio
na urgência do hospital,
acabou-se.
Ficámos órfãos,
entradotes e órfãos,
o que é uma coisa esquisita.
Sem ser perfeita,
deixando-te levar
no diz que se diz,
eras o único elo de ligação,
quem verdadeiramente
se importava com nós.
Agora sós
é tudo mais frio,
ajustámos os trancos da vida
sem muros a segurá-los.
Iremos, porém, arrastados
pelas veredas da vida,
viver o que nos falta percorrer.
Sem palavras de alento,
sem um bom assado
de Domingo,
frutas escolhidas do pomar,

um chá quente de lúcia-lima.

Sem comentários:

Publicar um comentário