terça-feira, 3 de abril de 2018

UM ABRAÇO


Mário Couto
UM ABRAÇO

O abraço é breve
sem razão, sem porquê,
pássaro correndo
contra o vento,
mão semeando
pensamento transitivo
no asfalto da cidade.
Na cabeça um vazio
contrapondo-se ao rio
sabendo ao certo o caminho
na direcção da foz.
Canto nostálgico
das gaivotas imperiais
pousando firmemente
no capot  d e um carro
donde se vê o casario
do outro lado da marginal.

Sem comentários:

Publicar um comentário