terça-feira, 3 de abril de 2018

INFÂNCIA E VERÃO


José Gonzaléz Collado

INFÂNCIA E VERÃO


Nas tardes de Agosto
havia calor de mais,
saíamos na frescura da manhã
a percorrer os campos
de centeio e papoilas.
A seara ondulava
e arranhava as pernas desnudas
ao de leve.
Subíamos o telhado
da casa da eira
lambuzando a cara
de pêros maduros.
As amoras ficavam para depois,
negras, sedosas,
apanhadas pela fresca
e guardadas pela minha mãe
em compotas etiquetadas.
O ribeiro da aldeia
cumprindo a sua missão
refrescava os corpos suados,
pondo fim às traquinices
da crinçada desocupada
nas férias de verão.



Sem comentários:

Publicar um comentário